Como a Inteligência Emocional pode ajudar na criação dos filhos

Você lembra como os nossos pais nos preparam desde a infância para que pudéssemos nos desenvolver mentalmente aprendendo conhecimentos técnicos sobre isso ou aquilo. Ouvimos desde cedo que devemos ser Advogados, Médicos, Engenheiros, Administradores, Economistas, Dentistas, entre outros.

Além disso, somos preparados pela escola para evoluirmos nos conhecimentos das disciplinas e logo que nos destacamos um pouco em alguma área somos logo rotulados como “um ótimo engenheiro”, “esse gosta de estudar, vai ser médico”, ou mesmo “ele é muito bom em Português, será um bom advogado”.

No momento atual ainda incrementamos ao nosso desenvolvimento a busca por uma educação alimentar e física mais saudável. Somos pais que sabemos a importância do exercício físico, de uma alimentação balanceada e o impacto disso no futuro. Por isso também educamos nossos filhos nesse sentido evitando criar hábitos alimentares que possam ser prejudiciais, tais como: beber líquido durante as refeições, consumirem frituras em excesso, comer alimentos que contenham muitos conservantes ou sódio, entre outros.

Intelecto, Corpo, e as Emoções?

Trabalhamos para a melhoria da capacidade intelectual e hábitos saudáveis de vida, mas como estamos desenvolvendo a parte emocional dos nossos filhos para que se tornem adultos emocionalmente saudáveis?

No nosso papel de Pais temos a responsabilidade de entender e trabalhar as emoções dos nossos filhos frente às experiências da vida. E esse apoio deve ser realizado desde o seu nascimento, na verdade desde que a mãe descobre que está grávida é necessário um cuidado com as suas próprias emoções que por sua vez também serão as emoções do seu filho. Pode parecer exagero dizer que precisamos ter esse cuidado com os sentimentos desde o inicio da gravidez, mas não é. Sabemos que nossos filhos já nascem reconhecendo as nossas vozes e até mesmo músicas que eram colocadas durante a gestação.

Os nossos filhos já começam a imitar os nossos movimentos desde os primeiros dias de vida e assim já precisamos estar atentos para iniciar esse enriquecedor processo de transmitir conhecimento para outra pessoa.

Quanto os Pais conhecem de si mesmos?

inteligenciaemocional2

É preciso que os Pais entendam e explorem mais os sentimentos dos seus filhos para que possam desenvolver inteligência emocional e assim também compreender melhor os próprios sentimentos e os de outras pessoas. Os nossos filhos refletem as nossas atitudes e comportamentos sendo uma excelente fonte de autoconhecimento.

É fato que processamos todas as informações por meio dos nossos sentidos e para isso precisamos desenvolve-los em nós para que possamos repassar aos nossos filhos.

Esses não podem ser desenvolvidos apenas por meio de conhecimento técnicos, mas sim por meio de vivências e experiências do dia a dia. A vida está em constante movimento e as situações cotidianas vão providenciar casos suficientes para que os Pais possam desenvolver os comportamentos dos seus filhos.

Filhos excessivamente protegidos

O que percebemos é que as crianças quando estimuladas a terem coragem frente a determinadas situações crescem mais desinibidas, assumindo responsabilidades e se impondo diante de desafios. Ao contrário, quando são excessivamente protegidos ou empurrados para experiências causadoras de ansiedade tendem a manter a timidez e não se desenvolverem para os percalços da vida.

Quando falamos aqui de proteção não estamos somente lidando com algo físico, mas também no aspecto emocional. Se uma criança sofre alguma desilusão ou discussão com um coleguinha que a magoa é comum frases do tipo “Deixa para lá ele não sabe nada”, “Ele é que não sabe brincar, melhor ficar longe dele”, ou pior “Ele é um bobo por não querer brincar com você”. E ainda em casos mais extremos quando a criança sofre ou presencia um acidente buscamos imediatamente fazer com que ela fuja da emoção criando algo novo. Em todos esses casos fazemos com que ela negue o sentimento ao invés de entender e trabalhar com o seu significado.

Negar os sentimentos pode ser a solução?

tristeza3

            Negar o sentimento não ajuda a criança a enfrentá-lo. O que faz a criança negar um determinando sentimento é a confusão que ela faz entre eles. Por isso é necessário que os pais adotem uma abordagem clara de acolhimento e entendimento sobre as suas emoções ao invés de negá-las (excluir “as emoções”) e fugir da dor.

Os nossos filhos precisam de ajuda para descobrir como pode se sentir melhor a partir daquele sentimento. Entretanto, para isso os Pais precisam estar preparados para realizar esse mágico momento de troca de experiências de vida.

            E como podemos aprender a identificar essas situações do dia a dia que podem interferir nos comportamentos do seu filho? 

As nossas experiências…

            Assim como o desenvolvimento físico ou intelectual a base para trabalhar com o desenvolvimento emocional é o entendimento das nossas próprias ações em relação a sociedade que nos rodeia. É de forma bem simples, o conhecimento que temos de nós mesmos. De como interagimos com o mundo e nos relacionamos com outras pessoas.

            O entendimento das experiências que vivemos e o motivo que nos levaram a executar cada ação. E sempre respeitar as experiências das outras pessoas sabendo que a realidade que temos para nós não será a mesma para os outros.

            “E se nós vivêssemos em um mundo onde todos fizessem o que deveriam fazer, porque             amam o que fazem? Que tipo de mundo seria esse?”. (Blair Singer)

Esse é o primeiro passo para começar a entender o mundo de outra pessoa, reconhecer que precisamos primeiro analisar e internalizar os nossos próprios sentimentos. O processo não é rápido e nem somente exitoso com momentos de alegria e felicidade, envolve também dor e sofrimento ao recordarmos feridas do passado que não foram tratadas no momento oportuno.

Inteligência Emocional para Pais

A inteligência emocional para os Pais busca justamente integrar esses dois caminhos: comportamentos dos pais e experiência dos filhos. Ou seja, ajuda os pais a criar filhos emocionalmente saudáveis por meio do autoconhecimento de suas potencialidades e comportamentos.

Nesse primeiro momento iremos entender como funcionam as quatro emoções básicas que regem a totalidade dos nossos sentimentos, sendo as seguintes: Alegria, Tristeza, Raiva e Medo. É evidente que não existem somente essas emoções, mas utilizaremos essas quatro como base para o entendimento das demais e num momento futuro iremos entrar em mais detalhes.

Para receber mais informações sobre inteligência emocional para Pais entre em contato conosco: