Filhos hiperativos ou pais ausentes?

As melhores coisas que podemos dar a nossos filhos são nossa presença e atenção. Entretanto, é algo que precisa ser feito com qualidade e dedicação. Sabemos das dificuldades do dia a dia e por isso reforçamos a necessidade de dividir um tempo que seja realmente focado na criança.

A rotina do dia faz divide o nosso tempo entre trabalho, a casa, o casamento e os filhos, e nós geralmente temos a impressão de que “não temos muito tempo para eles”.  E a situação pode piorar no caso de pais solteiros ou descasados.

E essa dinâmica do nosso cotidiano de realizarmos cada vez mais coisas ao mesmo tempo (celular, computador, internet), e sempre conectados e online” faz com que as crianças aprendam a seguir o nosso ritmo.

Os filhos aprendem com os exemplos dos pais e se você faz várias coisas ao mesmo tempo pode ter certeza que eles vão vivenciar e agir da mesma forma.

 

Aprendem rápido!

A partir desse aprendizado acabam por ser diagnosticados, em muitos casos pelos próprios pais, como hiperativos. Geralmente a criança nada faz além de acompanhar e se conectar aos pais por meio do seu ritmo de vida.

É evidente que existem casos de doenças e que se diagnosticado a criança deve ser tratada por um médico. De qualquer forma, o ritmo dos pais e o seu exemplo serão determinantes para o sucesso do tratamento.

A maneira como passamos o tempo com nossos filhos é tão importante quanto a quantidade desse tempo. Se existe má vontade de nossa parte, a mensagem que transmitimos à criança é de ressentimento e impaciência, não de generosidade.

hiperativo

Exemplo simples

Rafaela pediu à mãe que lhe ajudasse a fazer um desenho que ela gostaria de entregar a professora, não era sequer uma tarefa, mas algo que ela queria fazer para a professora.

– Mamãe, você pode me ajudar a terminar esse desenho para a minha professora?

                – Tá bom, mas vamos logo porque ainda preciso dar um monte de telefonemas do trabalho – a mãe concorda apressadamente.

Veja que a mãe concordou com em ajudar a filha, mas colocando a menina sob pressão e sem nenhuma qualidade no tempo que está sendo dedicado à menina. E o pior é que as crianças, principalmente em idade menor, são muito inconscientes e percebem a ansiedade da mãe. Isso faz com que sintam que a sua atividade tem uma importância menor e podem inclusive desanimar em realizar a tarefa.

 “Você pode passar a vida toda se perguntando o que fez de errado na criação do seu filho ou dar foco e atenção na beleza que é o crescimento deles”, Leonardo Veloso

 

Valores

Aqui é importante ressaltar que além do aprendizado em relação à “correria” da mãe o que além do exemplo ainda pode gerar ansiedade na criança. E mais, nesse momento a mãe perdeu uma excelente oportunidade de transmitir um valor fundamental para a filha.

Nesse caso estamos falando de um valor muito importante para a maioria dos Pais. É bem possível que você não tem parado até hoje para definir quais são os valores que importam e norteiam a sua família.

Ou mesmo tenha parado para explicar isso aos seus filhos, e até alinhado com o seu marido ou esposa como podem tomar melhor decisões a partir desses valores. Enfim vocês podem entender mais um pouco sobre valores no texto “Eu sei o que são VALORES e como estou trabalhando com os meus filhos?” 

No caso da Rafaela estamos falando de um valor que geralmente é colocado pelos pais em todas as sessões de Coaching para Pais e que sempre representam valores familiares que é a GENEROSIDADE.

A criança vai aprender esses valores a partir do momento que vivenciam eles em família e começam a perceber sentido no que fazemos e sentir no momento que elas a realizam a mesma ação (aprendem o que vivenciam).

É fato que não podemos ficar o tempo todo dedicado aos nossos filhos, sejam bebês ou crianças, mas devemos ter alguns minutos do nosso dia para uma atenção dedicada a eles. Tenha certeza que aqueles minutos dos seus filhos ao seu lado são os melhores minutos do dia dele e também podem ser seus, basta que você se dedique a isso.

A partir desse conceito podemos perceber como em muitos casos rotulamos crianças como sendo hiperativas, sendo que na verdade estamos falando de meninos ou meninas que convivem com pais ansiosos, estressados e tremendamente atarefados.

Os nossos filhos aprendem com os nossos exemplos e acompanham o ritmo da casa como se fosse o seu próprio. Então se os pais estão sempre correndo ou mesmo agindo como a mãe da Rafaela, as crianças começam a adquirir os mesmos hábitos com a diferença de que nós somos os responsáveis por isso.

hiperativo2.jpg

E assim que nos tornamos pais ausentes mesmo acreditando que estamos dedicando “tempo” para os nossos filhos. O que importa para as crianças é a qualidade do tempo que passamos com elas e não quantidade do mesmo.

Pais, façam um teste em casa e perguntem para os seus filhos quais os melhores momentos que eles lembram que viveram com vocês e surpreendam-se com a resposta que foi algo simples e que você tenha estado realmente presente.