Pais, a sua saúde emocional é a do seu filho

A preocupação com a saúde é algo constante no cotidiano das nossas famílias e buscamos mantê-las sempre em ordem por meio da alimentação e dos exercícios físicos.

Como estamos cuidando da nossa Saúde Emocional?

É fundamental entendermos que a nossa saúde emocional afeta diretamente a saúde dos nossos filhos e isso vai gerar conseqüências por toda a vida. Precisamos ter sempre em mente que as crianças aprendem o que vivenciam, e por isso vão aprender com os nossos exemplos.

Os conceitos de saúde que estamos aplicando na nossa vida serão modelos, e não somente aqueles que estamos falando para eles. Se não fazemos o que falamos a criança cria uma confusão na cabeça e certamente vai realizar aquilo que vocês estão fazendo no dia a dia.

A forma que lidamos com as nossas emoções vão afetar diretamente a nossa saúde, o nosso bem estar físico e intelectual.  Segundo Daniel Goleman:

                “As emoções exercem um poderoso efeito sobre o sistema nervoso autônomo, o qual regula tudo, desde quanta insulina é secretada até os níveis da pressão sanguínea”.

saude32.jpg

Essa constatação não é uma surpresa já que sabemos que em situações de raiva, por exemplo, podemos ter aumento da pressão sanguínea e possivelmente resultar em problemas físicos.

Os estudos indicam que determinados sintomas podem estar ligados a, por exemplo, uma dor reprimida por meio de um medo, crença ou raiva.  E esses serão causadores de doenças físicas como: úlcera, hipertensão, alergias, estresse e até o mesmo câncer. Além daquelas psíquicas: ansiedade e nervosismo, e sociais: apatia, inabilidade social e isolamento.

Nesse caso já falamos de doenças que afetam a nossa capacidade de realizar as atividades diárias e inclusive podem levar a morte.

A questão aqui é que vocês percebam que o tratamento ou mesmo a forma como lidamos com os nossos filhos podem ser fatores indutores de uma saúde emocional frágil e que pode acarretar em sintomas de doenças físicas.

A simples atividade de chegar em casa e dar atenção para os filhos nem que seja por cinco minutos, sem celular e com qualidade naquele momento já podem induzir a um estado de alegria que fica registrado na criança.

Se lembrarmos do filme Divertidamente percebemos que as nossas memórias consideradas como “base” no desenho, podem se transformar de alegres para tristes e assim ir corroendo tudo aquilo em que acreditamos.

Quando caminhamos para o sentimento da tristeza desencadeamos uma série de medos e crenças que podem levar as doenças físicas que acabamos de citar acima.

É preciso realmente muita atenção e dedicação na relação com os nossos filhos e se apegar à alguns detalhes que podem parecer bobos, mas que fazem muita a diferença, inclusive para a nossa saúde.

Você pode ver mais sobre emoções e sentimentos no ebook Inteligência Emocional para Pais, só clicar no link para baixar.