Um pequeno acidente com nossos filhos pode evitar muitos outros

Na sexta-feira Santa o Miguel caiu da escada da casa da minha irmã e tivemos que ir correndo para o hospital onde ele foi prontamente atendido e levou seis pontos num corte na cabeça. Hoje ele está bem e após o susto tivemos um grande aprendizado.

Acredito que o acidente poderia ter sido evitado por alguns motivos e por isso vamos dividir esse difícil momento com vocês que nos acompanham aqui pelo Blog.

O Miguel já estava acostumado com a escada que não é diferente de qualquer outra de uma casa de dois andares, pelo contrário, já esteve na casa da minha mãe onde a escada era maior e teoricamente oferecia ainda mais riscos.

 

 Sinais

Durante todo o dia vários foram os sinais que indicariam que eu poderia ter tido mais cuidado com ele e a escada. Por diversas vezes avisei ele que não descesse a escada sozinho e até seus tios conversaram com ele, lembrando inclusive de outras histórias.

A questão aqui não é me responsabilizar ou culpar pela situação e sim mostrar como podemos perceber alguns desses sinais e ficarmos mais atentos à saúde dos nossos filhos. E sim, a responsabilidade é minha.

Empatia

Ao perceber que estávamos falando sobre isso poderia ter sido mais empático com ele. Isso mesmo, ter demonstrando mais empatia e falado para ele que entendia o sentimento de segurança que ele estava sentindo, está maior, tem mais habilidade, coordenação motora e estava muito feliz por estarmos curtindo o feriado.

ajokok.jpg

Assim poderia ter enfatizado para ele que todas as vezes que descesse a escada deveria me chamar ou a algum dos seus tios. Eu fiz isso, os tios também, mas percebendo os sinais poderíamos ter tomado mais cuidado.

Em muitos momentos os nossos filhos vão se sentir nessa situação, afinal estão crescendo e se desenvolvendo, e a cada dia ganham mais confiança para enfrentar seus desafios.

E nós queremos que eles sejam fortes e aprendam com seus erros e possam sim ganhar cada vez mais confiança. Entretanto, precisamos estar atentos, presentes e também lidar com esses momentos.

Depois do acidente não adianta lamentar…

Não estamos aqui somente para ensinar o que pode ou que não pode, o certo ou o errado, ou mesmo apontar o dedo para eles depois de algo de pior aconteceu.

E, apesar do Miguel ter ficado calmo no caminho para o hospital, foi extremamente difícil estancar o seu pequeno corte que estava sangrando. Eu tinha pingos de sangue na mão e no braço e ele também tinha um pouco de sangue nas costas.

Sim, eu sei que acidentes acontecem e não podemos colocar nossos filhos em redomas e protegê-los contra tudo, pelo contrário, sabemos que isso vai acontecer uma hora ou outra. A questão é perceber como poderia ter sido diferente.

Nós falamos de saúde durantes esses dias e em muitos casos lidamos com isso de um modo a evitar doenças e não a cultivar saúde física e emocional.

IMG_20170414_134920_021 (1).jpg

A conversa depois do acidente

Eu e o Miguel conversamos bastante sobre o acidente de como ele poderia ser evitado a partir de mais atenção, cuidado e confiança. Isso mesmo, falamos sobre como a confiança é importante e como precisamos lidar com ela.

O susto foi grande, a lição foi difícil, a imagem dele sangrando ainda me incomoda e tenho certeza que a ele também. Entretanto, acredito que estamos superando esse momento sem traumas, e sim com aprendizado.

Nos outros dias fizemos como retratei para vocês, descemos a escada juntos ganhando confiança aos poucos e o Miguel também aprendeu sobre como identificar e respeitar os sinais.

Gostaria de não escrever mais nenhuma vez sobre isso e sei que o que estou pedindo não é fácil, mas vamos seguir aprendendo juntos.

Clique aqui e baixe agora nosso E-book sobre Inteligência Emocional para Pais!!