Nossas decisões afetam a autoestima dos nossos filhos

Você sabe aquela sensação de quando acorda pela manhã e não sabe qual a melhor decisão tomar sobre um negócio importante? Ou mesmo sobre algo em sua vida pessoal? Consegue perceber aquele momento em que a dúvida vem e você consulta amigos, analisa cenários, avalia opiniões e assim decide o que realmente quer naquele momento?

Se quer saber mais sobre a autoestima para pais e filhos click aqui.

É fato que existem decisões na nossa vida que realmente nos afetam de tal forma que podem realizar inclusive uma transformação pessoal e mudar também a história de outras pessoas, e por isso precisamos realmente de um cuidado maior.

É bem possível que todos já tenham passado por esse momento e seguido a vida normalmente. A questão a ser tratada aqui é quando essa dúvida começa a fazer parte do nosso dia a dia para tudo o que fazemos, por mais banal que seja para nós ou para os outros.

Para mim tanto faz…

Em muitos casos existem pessoas que simplesmente abdicam de escolher algo pelo simples fato de não precisar lidar com a rejeição ou mesmo com o fracasso. Simplesmente não decidem nada.

O resultado de uma decisão é julgado por nós como algo certo ou errado, quando na verdade é o que de fato aconteceu devido a uma ação que promovemos em nossas vidas. É evidente que ninguém quer resultados negativos de algo que fez ou sugeriu, seja no trabalho ou em casa.

A questão é que dificilmente vamos saber avaliar todos os fatores de risco se não vivermos algumas experiências e assim aprendermos e crescermos com elas. A vida nos coloca nessa situação o tempo todo, e talvez você possa até pensar que essa é a beleza da vida: aprender com as experiências.

01051

Pais e Mães inseguros

E como adultos inseguros ou melhor, como Pais e Mães com medo de enfrentar decisões em nossas vidas, acabam por criar filhos que serão nada mais que nossos exemplos.

É muito comum em sessões de Coaching para Pais ou mesmo em dinâmicas nas palestras em escolas, quando os Pais realizam um ou outro exercício de crenças percebem que seus filhos não serão os adultos que eles gostariam que fossem pelo simples motivo de que ninguém está ensinando isso para eles.

Ao contrário, o que está sendo passado e aprendido no dia a dia são ensinamentos do tipo: “Qualquer coisa serve desde que me dê menos trabalho”, “Faço o que o outro quiser só para não contrariar”, “Não tenho opinião própria e faço o que acham melhor para mim”, entre outras coisas.

As crianças aprendem com o exemplo

Os nossos filhos estão prestando atenção as nossas ações a todo instante mesmo que não estejamos sequer falando com eles. É fácil perceber isso quando vemos que os filhos imitam nosso jeito de andar, as expressões faciais, e até o jeito de sentar numa cadeira.

Por isso precisamos trabalhar a todo instante com a autoestima deles, seja quando pedimos algo, incentivamos, brincamos ou quando damos uma bronca. E devemos ficar atentos a uma simples conversa com alguém que esteja próximo, no telefone, ou dentro de casa, com o que falamos e como nos referimos a determinadas situações.

01052.jpg

Iremos falar mais sobre essas características nos próximos posts. E se quiser receber mais dicas é só clicar aqui.