Crianças aprendem o que vivenciam com os Pais

Os Pais são os exemplos que os filhos possuem a todo instante atuando naquilo que falam, nas orientações que passam diretamente para criança, e também na forma como se comunicam com outras pessoas.

Exatamente isso Pais! Elas vão absorver tudo como se fossem uma esponja e não possuem filtros para o que é agradável de ouvir (aquilo que o papai fala para mim) e o que não fala para mim (ao telefone, com a mamãe, outros familiares, amigos, entre outros).

 

Aprendem com o não verbal

Os Pais conversam bastante comigo sobre esse tema, falando aquela frase célebre “Onde que esse menino aprendeu isso”, que geralmente emenda “Só pode ser na escola”. Já ouviram isso?

Além disso, as crianças não aprendem somente com aquilo que ouvem, mas também com as nossas expressões não verbais, com o que não falamos. Já ouviram aquele famoso ditado: “Faça o que eu falo, mas não faça o que eu faço”. Não serve para as crianças.

A conexão entre Pais e filhos, e principalmente com a mãe nos primeiros anos de vida, é muito forte, a comunicação acontece em muitos casos de forma não verbal, por meio de gestos de amor e carinho.

Acredito que todos aqueles que são Pais já perceberam isso, e sentiram como essas emoções falam por nós. A questão é que os gestos de raiva e medo também são assimilados da mesma forma.

25053.jpg

E na gravidez?

E muitas mães que estão nos seguindo e acompanhando falam sobre o fato de ainda estarem grávidas e por isso ainda não possuem nenhum comportamento que queiram melhorar nos filhos. Afinal eles nem nasceram.

E os medos e comportamentos que estão sendo passados para o filho ainda no período de gestação? Ou algum papai ou mamãe acredita que não está se comunicando com seu filho durante esse período?

Lembrem-se que a comunicação não é seletiva e que tudo aquilo que falamos ou fazemos é absorvido pela criança. Sendo esse período um ótimo “treino” para os Pais trabalharem as sua emoções antes que o “jogo” comece de verdade.

 

O que aconteceu comigo?

O fato de trabalhar e estudar sobre o impacto dos comportamentos dos Pais na relação com os filhos me abre uma série de possibilidade para ampliar a relação com o meu filho, isso é fato. E mesmo assim ainda acontecem situações em que me surpreendo.

Em virtude das palestras e treinamentos acabo viajando sempre de avião e o meu filho acabou gostando também desse tipo de viagem. Toda vez que viajo sem ele costumo trazer um saquinhos das famosas “balas de avião”.

É um brinde de uma determinada companhia área que ele gosta muito e acabou se tornando uma lembrança das nossas viagens. Então todas as vezes que viajo por essa companhia acabo trazendo esse saquinho para ele.

Não que ele lembre depois, quase nunca me cobrou isso, mas todas as vezes que cheguei com o pacote de balinhas ele ficou super feliz. Eu sempre pensei que fosse pelo fato das balinhas, que são estilizadas no formato de avião e se parecem com gelatina.

Isso foi até o ontem quando o Miguel viajou de avião para a Belo Horizonte com a mãe dele. No dia em que ele chegou a mãe dele me disse que ele havia guardado algo para mim e que ele queria me entregar.

Quando ele veio com dois saquinhos de cookies integrais que havia pedido a aeromoça para que pudesse guardar e levar para o seu Pai. Isso porque já havíamos comido esses cookies juntos e ele sabia que eu iria gostar.

25052.jpg

Uma sensação diferente

Nesse momento, eu pude perceber uma sensação diferente daquela que eu achava que era a que acontecia quando entregava as balinhas para ele. A alegria não está no fato de ganhar algo que você gosta, e sim na lembrança e no carinho de ser lembrado pela pessoa que você tanto ama.

O gesto do Miguel havia acabado de me ensinar mais duas lições: a primeira foi a comprovação de que os nossos atos se repetem e só podemos entregar aquilo que temos dentro da gente e assim iremos receber exatamente isso de volta.

E a segunda de que a felicidade desses momentos são únicos e inesquecíveis. É a partir destes que conseguimos ir além em nossas vidas, ter a motivação necessária para crescer e nos desenvolvermos ainda mais, como pessoas, como Pais.

Sabendo que podemos ser melhores do que aquilo que aprendemos, que podemos evoluir sempre nesse processo de criação e formação de outra pessoa.

 

Autoconsciência e conhecimento

Nós não possuímos limites para esse processo e a cada novo passo que damos é em direção a evolução pessoal, ampliação da nossa consciência, no conhecimento de quem nós somos e podemos viver cada dia mais momentos como esse.

Tenho a certeza que você Papai ou Mamãe já viveu um momento de alegria inesperado e que a sensação foi muito além daquela que estava imaginando. Um simples gesto seu que foi imitado pelo seu filho e você ficou orgulhoso.

Se teve uma experiência parecida com essa, deixe seu comentário aqui no blog ou nas redes sociais. Compartilhe com seus amigos para que possamos aproveitar ainda mais e viver muitos momentos desses com nossos filhos.

Aproveite para baixar o nosso E-book  e entrar com contato conosco se quiser saber mais.