Meu filho é bagunçeiro

 

 

Pais, na sequência das 07 frases que você não deveria falar para o seu filho temos um clássico que na verdade pode ser desmembrada em várias outras, por isso vamos atentar para o conceito.

Você já falou para o seu filho que ele é bagunceiro, custoso ou mesmo teimoso? Aquele famoso momento de raiva que depois vai ficando como comum e ainda ampliamos as frases para: “Você é muito teimoso, não faz nada que eu peço”, ou “Você é bagunceiro mesmo, não arruma nem a sua cama” e por aí temos várias.

 

Formação da personalidade da criança

A questão é que generalizamos sobre um comportamento e acabamos por colocá-lo como uma identidade da criança. Ou seja, no período de formação da personalidade dela ficamos repetindo que ela é isso, até que ele se torne isso.

E depois ele acaba também generalizando e assumindo essa identidade, até mesmo para que possa ser reconhecido por você, seja para chamar a atenção ou mesmo porque já não sabe ser de outro jeito, porque aprendeu com você, papai ou mamãe, que ele é assim.

Então faço um pedido para vocês: Nunca afirme que seu filho é algo negativo, pelo simples motivo que ele não é. As crianças passam por essas situações e realmente em alguns momentos são bagunceiras, teimosas, custosas, e inclusive chatas.

Entretanto, esses são comportamentos que elas adotam por algum motivo e não por que nasceram com algum gene especial que o fizeram assim. E isso nem mesmo é hereditário para que você possa falar que ele é assim porque puxou o pai, a mãe ou alguém da família.

 raiva.jpg

Identidade da criança

Isso é comum, e todos somos assim em algum momento. Entretanto, ao afirmarmos que os filhos são desse jeito, reforçamos neles uma característica negativa, fazendo com que uma situação torne o que ele é.

Em muitos casos, de tanto ouvir que a criança é assim ele começa inclusive a repetir que é assim, e isso acaba formando parte do que ela é, da sua essência. Ou seja, acabamos por transformar elas naquilo que tanto afirmamos.

Acredito que nenhum Pai ou Mãe quer que seu filho seja algo de negativo ou pior, que se torne um bagunceiro, teimoso, raivoso, enfim qualquer uma dessas características. E para isso precisamos contribuir ativamente no processo.

 

Agimos por impulso sim, mas…

É fato que em determinados momentos agimos por impulso, raiva e acabamos por realizar essas afirmações, porém assumimos a responsabilidade de sermos pais e precisamos saber lidar com essas situações para que possamos criar os filhos que sempre sonhamos.

Perceba que se ele faz algo do tipo e se tem similaridade com alguém da família é porque ele está realmente copiando esse comportamento. As crianças aprendem o que vivenciam e por isso a mudança deve ocorrer em nós, Pais.

Como falar para o seu filho não ser algo se ele tem um exemplo contrário em casa. Ele logo pensa, poxa se o papai é bagunceiro, a mamãe vive falando isso, como também ela vive falando que ama ele, que é o amor da vida dela. Logo também vou ser bagunceiro para que ela possa me amar também.

 HIPERATIVA4.jpg

Como chamar a atenção

Se além de ter alguém como referência, a criança ainda percebe que ao tomar determinada atitude tem a atenção que tanto deseja do pai ou da mãe, essa se torna um recurso interno para ela, de tal modo que vai usar sempre que quiser chamar a atenção.

Você precisa ter em mente que o seu filho não faz nada com o propósito de te magoar ou te deixar chateado, e que ele certamente não gosta de levar broncas, que gritem com ele ou mesmo ficar de castigo. Tenha a certeza que ele não gosta disto.

Quando realiza um comportamento que gera esse tipo de reação é porque foi assim que ele aprendeu em casa. A partir do momento que ele tomar essas atitudes e você descobrir o real motivo, vai conseguir trabalhar para mudar essa relação.

Como mudar isso?

Agora um alerta! Essa mudança vai ocorrer primeiro em você e possivelmente está relacionado a um medo ou uma crença da sua infância e essa transformação pode gerar algum sofrimento para que você possa continuar crescendo pessoalmente.

É muito comum os Pais me procurarem no coaching ou por meio dos treinamentos e perceberem que precisam de mudar de comportamento para que possam efetivamente melhorar a relação com o filho.

Portanto, não acredite que existe outro jeito ou mesmo que a vida vai ensinar o seu filho. Ela com certeza vai ensiná-lo, mas o sofrimento dele será bem maior ao descobrir isso dessa forma.

Percebo que os pais não querem que seus filhos sofram, mas logo que não conseguem encontrar outro jeito, que não seja aquele que aprendeu com os Pais, não sabem que existem outras técnicas e ferramentas que podem ajudá-los.

Permita-se descobrir um pouco mais sobre os seus medos e crenças e assim mudar comportamentos para que possa efetivamente ter uma relação emocionalmente saudável com seu filho.

Saiba mais sobre Inteligência Emocional para os Pais no nosso ebook.

Aqui são Pais aprendendo juntos.

Veja o vídeo completo da quinta frase aqui